quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Nuclear Football - A Mala Atômica dos Presidentes do Estados Unidos da América


A Nuclear Football (em português, Bola Nuclear) é uma pasta preta especialmente equipada usada pelo Presidente dos Estados Unidos. Há poucas informações e muitas especulações sobre a tal pasta, seu conteúdo e sua operação.

O jornal The Washington Post afirma que "o Presidente sempre é acompanhado por um militar que carrega a pasta, dentro dela estão relatórios, um cartão codificado de uso exclusivo do Presidente e os códigos para o lançamento de armas nucleares."

Já um artigo do jornal USA Today garante que "existem três pastas e não uma, a primeira viaja com o Presidente, uma reserva está guardada na Casa Branca e a terceira está com o Vice-presidente."

A pasta vem do governo de Dwight D. Eisenhower (1953-1961), mas ela passou a ser usada em consequência da Crise dos mísseis de Cuba, naquela ocasião John F. Kennedy preocupou-se sobre uma possível ordem de ataque nuclear ser dada sem sua devida permissão. O resultado dessa preocupação foi uma revisão geral no comando responsável pelo arsenal nuclear dos Estados Unidos e na mudança de sua logística militar.

Adaptada para permitir ao Presidente para dar uma ordem de  ataque nuclear desde Centros de Comando fixos , tais como a White House Situation Room , as suas funções são um Nó Móvel no sistema de defesa estratégico dos Estados Unidos. Enquanto os detalhes exatos sobre a "Bola" são TOP SECRET, muitas fontes tem providenciado informação sobre a mala, o seu conteúdo, e operação.

Presume-se que tenha um seguro sistema de comunicações rádio SATCOM, um diário de códigos de lançamentos nucleares (conhecido como "Gold Codes"), e outros materiais que o Presidente pode utilizar para tomar uma decisão sobre o uso de armas nucleares. Isso inclui sumários de várias opções pré-determinadas de ataque assim como planos para lidar com um estado de emergência sob ataque nuclear, ou uma possível retaliação. Esses materiais são gerados pela Agência Nacional de Segurança (National Security Agency)(Gold Codes contidos no "Play Book") e Comando Estratégico dos Estados Unidos (Planos de Emergência).

De acordo com peritos, no caso do Presidente decidir usar armas nucleares, o Comandante-em-Chefe diz ao ajudante militar para abrir a mala. A partir desse momento, o ajudante e o Presidente irão rever as opções de ataque e decidem sobre um plano em particular, que pode ir de um simples missil de cruzeiro, ou de um ataque em larga escala de misseis balísticos intercontinentais. 

A seguir, usando a comunicação SATCOM, o ajudante militar contacta o Centro de Comando Militar Nacional ou em numa situação de após primeiro ataque, um comando aéro-transportado (feito possivelmente por um Boeing E-4B). Antes da ordem ser processada pelo militar, o Presidente deve-se indentificar usando um código especial que transporta num cartão de plástico, conhecido como o "biscoito". Uma vez que todos os códigos são verificados, o militar envia as ordens de ataque para as unidades.

A "Mala" é transportada em rotação por um dos Ajudantes Militares Presidenciais (um de cada dos 5 ramos das forças armadas). Esta pessoa é um oficial comissionado das Forças Armadas dos Estados Unidos, com grau O-4, que passa por um checkup rigoroso (Yankee White).

A antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (atual Rússia), também fabricou malas deste tipo durante a Guerra Fria, e existem rumores de que até mesmo Osama Bin Laden possuía uma destas malas, obtida possivelmente por negociações com a Máfia Russa, pois na época a União Soviética "perdeu" algumas destas malas.